Diário do Pará Online

Preso integrante da quadrilha que vendia carros

Investigações realizadas pela Delegacia de Repressão a Crimes Tecnológicos (DRCT), da Polícia Civil do Pará, resultaram na prisão de mais uma pessoa envolvida com a quadrilha do golpe do carro fantasma, nesta quinta-feira (06). O estudante de designer gráfico Michael Alves Macedo foi preso em casa, no centro de Goiânia (GO), por policiais civis da DEIC (Delegacia Estadual de Investigações Criminais).

Em poder do acusado foram encontrados três computadores, impressoras, uma chancela (equipamento eletrônico usado para montar documentos falsos), cédulas de identidade em branco e dezenas de documentos falsificados, como CPF, CNH, certidão de nascimento e até diplomas escolares. A prisão é resultado da operação "Cegonha", coordenada pela Polícia Civil do Pará, que investiga uma rede de golpistas virtuais que age em todo o país e já fez mais de 100 vítimas.

Michael Alves Macedo era responsável em falsificar documentos para abrir contas bancárias usadas para "legalizar" a venda, pela internet, de veículos que não existiam. Ele também enviava documentos fraudulentos de compra de veículos com registro em cartório, via sedex, para diversas pessoas no Brasil.

A prisão foi realizada pela Polícia Civil de Goiás, após 20 dias de levantamentos na capital goiana, sob supervisão da DRCT. Natural de Goiânia, Michael estava com prisão preventiva decretada pela Justiça do Pará e está na unidade especializada da Polícia Civil de Goiás, aguardando autorização judicial de transferência ao Pará. Para a delegada Beatriz Machado, titular da DRCT, unidade vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado, Michael é considerado um dos principais membros da quadrilha.

Pessoas interessadas em comprar um carro mostrado no site usado pelos acusados(www.empresasfinavel.com.br) eram orientadas a depositar o valor referente à entrada em uma conta corrente fornecida pelos golpistas.

Dias após a quantia ser depositada, o comprador recebia, via sedex, documentos do contrato de compra do carro com registro em cartório, inclusive com carimbo. A conta e os documentos eram montados e enviados às vítimas por Michael. Com a prisão dele, já são seis pessoas presas durante as investigações realizadas pela operação "Cegonha". Os líderes da quadrilha são os mineiros Jadson Caetano da Silva, conhecido por Cláudio Vargas Santos, e Júlio César Rodrigues, que também se identifica como José Luiz Zanotto.

Eles foram presos em Manaus (AM) no último dia 27 de julho. Ambos estão recolhidos em uma unidade do Sistema Penitenciário do Pará, à disposição da Justiça. As investigações sobre a atuação da quadrilha continuam. Ao todo, 23 pessoas são investigadas em todo o país por envolvimento no crime de estelionato.(Polícia Civil)