Diário do Pará Online

Morto é queimado durante velório em Castanhal

Mais uma execução foi registrada em Castanhal. A vítima Alan Afonso Soares de Oliveira, 28 anos, conhecido por “Alanzinho”, morto por volta das 21h de sexta-feira, no bairro do Milagre, em Castanhal. O crime continua um mistério e teve um desfecho, no mínimo, inesperado.

Alanzinho estava num bar, que fica localizado na esquina da Praça do Milagre, quando foi abordado por um homem que chegou numa motocicleta. O suposto assassino desceu da moto, colocou o capacete no braço e se dirigiu ao banheiro. Depois, retornou com uma arma dentro do capacete e foi na direção de Alanzinho, que estava recostado na parede. O assassino teria feito cinco disparos com revólver calibre 38. O primeiro deles atingiu o pescoço, os outros, as costas da vítima, que não resistiu.

O corpo foi removido e levado ao Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” e após ser liberado, seguiu para a casa da ex-sogra de Alanzinho, situada no bairro do Ianetama, onde foi velado.

O inesperado aconteceu por volta das 4h de domingo, quando cerca de 10 homens, três deles armados com uma pistola 380 e revólveres calibre 38, chegaram ao velório e obrigaram os presentes a irem para dentro da casa. Logo após eles usaram dois litros de gasolina e atearam fogo no corpo dentro do caixão. As pessoas ficaram em pânico e saíram correndo. O bando fugiu em bicicletas. Pelo menos quatro dos envolvidos teriam sido reconhecidos por testemunhas.

Por volta das 8h de domingo a equipe de remoção do CPC Renato Chaves foi novamente acionada. Os peritos solicitaram apoio de guarnições da Polícia Militar para fazer a remoção do corpo queimado, mas, não havia mais nada na residência.

Boatos davam conta de que o bando responsável pela ação queria impedir o sepultamento, mas a informação não foi confirmada oficialmente. Apavorados com o ocorrido, tudo indica que parentes de Alanzinho levaram o corpo do jovem para ser sepultado no cemitério de Santa Maria do Pará, município vizinho a Castanhal.

Na noite de sábado, o dono do bar onde o Alanzinho foi morto, também foi baleado com cinco tiros. Ele foi levado para o Hospital Metropolitano, em Ananindeua. Até o fechamento desta edição não havia informações sobre a situação da vítima.

O caso vai ser repassado para a equipe da Divisão de Homicídios de Castanhal. (Diário do Pará)